sexta-feira, 24 de maio de 2013

"Mensagem para você...".


Um dia, abri o jornal e tinha essa mensagem para mim:


Tornou-se, desde o ano de 1993, o marcador oficial das minhas agendas. Todos as manhãs, é o primeiro texto que leio; e assim que sua leitura é completada, quase em forma de prece, passo o papelzinho para o próximo dia da semana.

E é assim que inicio os meus dias: lendo e absorvendo todo o amor contido naquela mensagem que um dia eu recebi...


sábado, 18 de maio de 2013

Grey's...


   A ficção, para além de nos transportar a uma vida imaginária, faz-nos refletir um pouquinho sobre as infinitas possibilidades de se movimentar nesse tabuleiro de xadrez do nosso mundo real. Por que não vivemos, tão somente, daquilo que é tangível? Por que não fazemos contatos apenas com pessoas que existem, efetivamente, no mundo concreto? Porque isso nos tiraria a capacidade de imaginar e de sonhar... Essa, penso eu, talvez seja a grande "função" dos livros, das músicas, dos filmes/seriados.



Nessa postagem, destaco uma cena de Grey's Anatomy, uma das tantas que me emociona todas as vezes que a assisto (sou absolutamente apaixonada pelo seriado!) . Quem poderia imaginar que em um simples "post it" se pudesse formalizar um contrato de casamento? E é aí que reside o segredo: nas manifestações mais simples do nosso viver é que os sentimentos mais puros e verdadeiros costumam se destacar...

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Sawade Kha...


Era para ser apenas a prática de uma atividade física (você precisa encontrar um exercício que lhe dê prazer, diziam os mais próximos.)...

Desde que me entendo por gente, amo esportes! Era ouvir o barulho de uma bola na rua que eu corria em sua direção...

Aos nove anos de idade, comecei a treinar vôlei, modalidade que pratiquei até os quatorze, paralelamente ao atletismo. Foi no Colégio Militar de Fortaleza que mergulhei no mundo esportivo... Todo o tempo em que eu não estava estudando, dedicava aos treinos.

Ainda aos quatorze, iniciei a jogar basquete, esporte que pratiquei de forma mais profissional. No basquete, tornei-me uma atleta "federada", e achava que ali seria o meu futuro... Mas, com a chegada do vestibular, os planos tiveram que tomar outro rumo.

Graças a Deus, entrei para o curso e Universidade a que eu almejava; porém, a partir daquele momento, passei a ser, tão somente, uma torcedora. Após a conclusão do curso, seguiram os estudos para concursos públicos, e praticar esporte resumia-se, quando muito, a ir a academias, mas a "Alice atleta" ainda restava adormecida...

Há pouco mais de um ano, contudo, essa realidade começou a mudar, quando iniciei os treinos de muay thai.

Guardadas as devidas proporções (pois já não sou aquela menininha do CMF. Rs...), a prática do muay thai devolveu a minha alegria de atleta! Não há dor de cabeça ou TPM que resista a cinco minutinhos de treino...

Era para ser apenas a prática de uma atividade física; mas, tornou-se uma paixão... Obrigada, muay thai!