terça-feira, 30 de abril de 2013

Daquilo que não é dito (ou "A vida além da que vivemos") ...


Tenho pra mim que há em cada um de nós um pedacinho de vida que se alimenta das nossas ausências: das palavras que não são ditas, dos pensamentos que não são sinalizados, das ações que não são efetivadas. Como se houvesse uma vida paralela à nossa "real" existindo, exatamente, daquilo que não é dito, nem pensado, nem feito... 

Quantas e quantas palavras nunca foram pronunciadas; quantos abraços apenas idealizados, quantos planos sequer iniciados...

Nosso instinto de preservação tende a afastar o que, pelo mínimo que seja, possa trazer-nos dor, sofrimento; e, nesse sentido, não pensar/não dizer/não agir ao encontro do desconhecido traz um bocadinho de segurança. A questão é que isso, não necessariamente, significa que se deixou de querer pronunciar, ou de se estender os braços, ou de se arquitetar projetos. E é, justamente, esse descompasso entre o não vivido e o verídico que nos pode ser bem complicado.. 

Quando foi que a vida que você não viveu mais sufocou? Quais músicas não dançadas mais fizeram falta? Que sorrisos guardados foram mais difíceis de conter?

quinta-feira, 18 de abril de 2013

"Sorte"...


Costumo comentar com os mais próximos que tenho muita sorte na vida. E, diariamente, tenho provas reais de que Ela sorri muito para mim. Desde os pequenos detalhes, como encontrar aquela vaga no estacionamento em frente ao elevador bem quando estou me aproximando, até os grande acontecimentos, como escolher a lotação de trabalho ou decidir o caminho certo a seguir nos momentos mais tortuosos, o fato é que sempre sinto a proteção divina a me proteger fortemente...

A maior "sorte" da vida foi ter nascido na minha família.  Nasci em um lar de verdade, que me deu a base para crescer de forma saudável e responsável. Amor, carinho, respeito, fraternidade, zelo com o próximo, foram conceitos que aprendi desde a infância, com o exemplo efetivo dos meus pais e familiares. Nós sempre estivemos unidos, em todos os momentos, dos mais agradáveis até os quase impossíveis de tão dolorosos. E isso faz toda a diferença...

Sempre que vou a Fortaleza, sinto-me a pessoa mais amada do mundo, justamente pela benção de ter a minha família. São tantas as demonstrações de amor e carinho, tantos sorrisos e abraços fieis que, sinceramente, valem toda a minha vida... Volto de lá tão abastecida de amor e paz de espírito que chega a transbordar...

E essa postagem é apenas para agradecer. Primeiramente, a Deus, pelo dom da vida e por ter me dado a "sorte" de vir ao mundo em uma família tão verdadeiramente família... Depois, a todos os meus familiares. Obrigada, minha mãe, flor mais importante da minha existência, meu pai, meu irmão, minha tia, minha sobrinha, meus primos e afilhados. Vocês são as estrelas que fazem o Céu da minha vida brilhar...


quarta-feira, 3 de abril de 2013

Amar o Mar...


Ele me encanta, conforta-me, tranquiliza-me, traz-me uma paz infindável e uma alegria inefável. Com vocês, o Mar da minha Semana Santa...

Paz e Bem a todos!