terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Talvez...

Boa noite a todos!
 
Os versos abaixo compartilhados foram por mim escritos quando ainda na fase da adolescência. O fato é que, apesar de já haver passado bastante tempo desde a sua criação, essas pueris palavras continuam latentes em meu ser...
  
Talvez algum dia
Não tão logo, eu diria
O homem possa ver
Que o que queria era fantasia
Que o que sentia era pura ironia
Que o que vivia nada mais era que magia.

Talvez, não sei ao certo
O homem um dia possa estar aberto
E possa pensar no que não está tão perto
E possa ver o que está encoberto.

E nesse dia, tão-somente nesse dia
Viver vai ser sempre sinônimo de alegria
E os pássaros cantarão com harmonia
Anunciando a chegada do novo dia.

Infelizmente, talvez é talvez
E nada ao certo se fez
Para que o homem pudesse de uma vez
Desmascarar sua timidez
E desfazer o que sempre fez.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Maria Carolina...


Hoje é um dia muito especial para mim... Meu coração sorri de tanta alegria...

Minha sobrinha, minha inspiração diária de felicidade, tornou-se “doutora do ABC”. E para festejar o seu “já sei ler e escrever”, Maria Carolina, a titia escreveu umas palavrinhas para você...

"Maricota,
Desde o seu primeiro dia de vida, a titia amou você.
Foi chegar naquele quarto de hospital, no dia 11/11/2004, e ver aquela mãozinha tão firme e delicada que, desde aquele instante, não passou um só dia em que a titia não agradecesse a Deus pela sua vida...

Compartilhamos sempre tão lindos momentos... Tantos sorrisos, risadas sem parar, tantos “por que, tia Alice”? Os “carões”, os “nãos” também são muito presentes, afinal, quem ama cuida, e é sempre pensando na sua felicidade que, às vezes, preciso ser mais séria.

Vi os seus primeiros passos, adormeci antes de você balançando-a na rede, aprendi a trocar frauda, a fazer mingau, a perceber as peculiaridades de cada personagem de estória infantil (Rsrsrs...)... E o que me deixa mais feliz é saber que nem a distância física foi capaz de diminuir a nossa afinidade/cumplicidade, e isso você me provava todas as madrugadas em que eu acordava com um “coala” em meu pescoço ao retornar à casa da “Vovó Pipina” nas férias/feriados. Hoje, em cada abraço que você me dá eu sinto que o amor que existe entre nós fez um elo impossível de ser rompido pelo tempo ou pela distância. Nossas almas são unidas...

No dia em que você leu o rótulo de uma lata de leite, a titia escondeu uma lágrima... Foi tanta alegria que nem mesmo ganhando duas vezes o prêmio da Megasena acumulada eu seria mais feliz... Quando é possível “ajudar” você a fazer a tarefa da escola, tenho um orgulho danado, Mariazinha.... Não seria apenas frase de tia coruja dizer que você é uma criança incrivelmente inteligente, e rogo a Deus para que tanta sabedoria seja usada tão-somente para o bem.

Hoje, meu amor, você se tornou uma “doutora do ABC”. A alfabetização é um passo muito importante na vida de um ser humano. Você vive em um País onde, infelizmente, nem todas as crianças têm a oportunidade de ler e escrever. As dificuldades sociais muitas vezes fazem com que as crianças troquem a escola pelo trabalho, e isso é muito triste! Sonho com o tempo em que as crianças possam ser somente crianças... Quem sabe um dia, não é?!

Alfabetizar-se é criar asas e ter a liberdade de entender o mundo um pouquinho mais... Essa etapa você venceu hoje!

Parabéns pela sua conquista, Maria Carolina!

Peço a Deus e à Mãezinha do Céu para que você, por meio dos estudos, possa alcançar muitas vitórias...

A titia te ama muito muito muito...

É uma imenso prazer ter você em minha vida...

Tia Alice”.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

O outubro que habita em mim...

Boa tarde a todos!

Desde criança, tenho uma forte empatia pelo mês de outubro. Isso pode ser explicado, em parte, pela felicidade que sinto ao comemorar o dia do meu aniversário, que, apesar de ser lá no finalzinho, já me faz "viajar" desde o primeiro dia do mês. Por sua vez, agosto tornou-se um intervalo de tempo tão "pesado" que os meses subsequentes têm em mim quase que essa "obrigação" de serem mais leves e alegres... 

Retribuindo gratuitamente essa minha "devoção", a verdade é que outubro sempre me reservou muitos bons momentos; são instantes e sorrisos que, apesar de terem o calendário todinho para se manifestar, acontecem exatamente nesses 31 dias...

E essa singela postagem nasceu, justamente, da vontade de desejar um excelente mês de outubro a todos nós... Parafraseando o espírito da famosa saudação, o outubro que habita em mim saúda o outubro que habita em você.

Paz e Bem!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O Ipê e A Inspiração...

   Boa noite a todos!

   Da data da última postagem até hoje, já se passou mais de 2 meses...

   A causa de tamanha ausência poderia ser facilmente atribuída à rotina de trabalho, às longas viagens que precisei fazer nesse pequeno espaço de tempo ou, ainda, à paralisia que o mês de agosto me traz; mas, não... não há como esconder: faltou-me mesmo foi inspiração.

   É... essa palavrinha tem feito uma falta danada nos meus dias...  Logo ela, que é um dos principais combustíveis do meu caminhar (ao lado do amor, do sonho e da fé), resolveu tirar férias...

   Bem... hoje seria mais um dia de não "atualização" do blog não fosse uma bela estorinha que me foi compartilhada e que não merecia ficar guardada...

   A mensagem logo abaixo narra a "saga" de um ipê que insistiu em continuar de pé... E foi justamente este Ipê que me inspirou a demorar um pouco por aqui nesta noite...

   Até breve, assim espero...

   Paz e Bem!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

A lição de Sung-bong Choi.


   Boa tarde a todos!

   Vez por outra, a velocidade da comunicação proporcionada pela internet agracia-nos com pérolas que somente nos seriam apresentadas após longas datas.

   O vídeo que segue abaixo me foi enviado por uma pessoa muito especial, o que, por si só, já foi motivo de felicidade! Por sua vez, a mensagem veiculada, de tão sublime, trouxe-me um pouco de tristeza, dessas tristezas que apenas as coisas belas são capazes de nos trazer. Talvez seja esse o paradoxo da própria vida... 

   De toda sorte, trata-se de um dos exemplos de superação mais lindos que já vi. Reparem na serenidade do rapaz ao relatar todos os infortúnios pelos quais passou na vida. Por muito menos, não são poucas as vezes em que deixamos a esperança desabitar nosso coração...


   Abraço fraterno!


segunda-feira, 13 de junho de 2011

Fernando Pessoa...

Às três horas e vinte minutos da tarde de 13 de Junho de 1888, nasce, em Lisboa, Fernando Pessoa.

Em um dia de festa para o Céu, compartilho com vocês uma poesia pela qual sou enormemente apaixonada...

Paz e Bem a todos!


"Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive".
(Ricardo Reis, 14-2-1933)

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Rouxinol...

Lindo dia a todos!

Na postagem de hoje, uma homenagem a um pássaro-irmão: o Rouxinol.

Eis uma ave solitária, que quase sempre se esconde sob a vegetação, o que se torna fácil devido à sua plumagem discreta. Normalmente, canta escondida, e talvez por esse motivo o seu canto é de beleza tão rara...

Em emocionante música, Milton Nascimento traduz em poesia a magia do Rouxinol... E é ao som dessa inefável canção que desejo um excelente final de semana a todos!

Paz, Bem e Luz!

domingo, 29 de maio de 2011

Quando a justiça faz Justiça!

Boa noite a todos!

Como operadora do Direito, confesso que, por muitas vezes, sinto que a esta ciência falta humanidade. Trabalhamos com processos e acabamos nos esquecendo de que, por trás daqueles papéis, estão muitas vida. A história abaixo transcrita relata bem o que quero dizer...

Um garoto pobre, que perdeu o pai em um acidente de trânsito, pedia a concessão da justiça gratuita. O juiz a negou, mas a decisão foi reformada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Trata-se de uma emocionante decisão! Deve ser esse o ideal de Justiça tão proclamado por Rui Barbosa... 

Parabéns ao Juiz José Luiz Palma Bisson!

Paz, Bem e Luz!

"Decisão do desembargador José Luiz Palma Bisson, do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferida num Recurso de Agravo de Instrumento ajuizado contra despacho de um Magistrado da cidade de Marília (SP), que negou os benefícios da Justiça Gratuita a um menor, filho de um marceneiro que morreu depois de ser atropelado por uma motocicleta. O menor ajuizou uma ação de indenização contra o causador do acidente pedindo pensão de um salário mínimo mais danos morais decorrentes do falecimento do pai. Por não ter condições financeiras para pagar custas do processo o menor pediu a gratuidade prevista na Lei 1060/50. O Juiz, no entanto, negou-lhe o direito dizendo não ter apresentado prova de pobreza e, também, por estar representado no processo por "advogado particular".

A decisão proferida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a partir do voto do desembargador Palma Bisson é daquelas que merecem ser comentadas, guardadas e relidas diariamente por todos os que militam no Judiciário.

Transcrevo a íntegra do voto:

"É o relatório. Que sorte a sua, menino, depois do azar de perder o pai e ter sido vitimado por um filho de coração duro - ou sem ele -, com o indeferimento da gratuidade que você perseguia. Um dedo de sorte apenas, é verdade, mas de sorte rara, que a loteria do distribuidor, perversa por natureza, não costuma proporcionar. Fez caber a mim, com efeito, filho de marceneiro como você, a missão de reavaliar a sua fortuna.

Aquela para mim maior, aliás, pelo meu pai - por Deus ainda vivente e trabalhador - legada, olha-me agora. É uma plaina manual feita por ele em paubrasil, e que, aparentemente enfeitando o meu gabinete de trabalho, a rigor diuturnamente avisa quem sou, de onde vim e com que cuidado extremo, cuidado de artesão marceneiro, devo tratar as pessoas que me vêm a julgamento disfarçados de autos processuais, tantos são os que nestes vêem apenas papel repetido. É uma plaina que faz lembrar, sobretudo, meus caros dias de menino, em que trabalhei com meu pai e tantos outros marceneiros como ele, derretendo cola coqueiro - que nem existe mais - num velho fogão a gravetos que nunca faltavam na oficina de marcenaria em que cresci; fogão cheiroso da queima da madeira e do pão com manteiga, ali tostado no paralelo da faina menina.

Desde esses dias, que você menino desafortunadamente não terá, eu hauri a certeza de que os marceneiros não são ricos não, de dinheiro ao menos. São os marceneiros nesta Terra até hoje, menino saiba, como aquele José, pai do menino Deus, que até o julgador singular deveria saber quem é.

O seu pai, menino, desses marceneiros era. Foi atropelado na volta a pé do trabalho, o que, nesses dias em que qualquer um é motorizado, já é sinal de pobreza bastante. E se tornava para descansar em casa posta no Conjunto Habitacional Monte Castelo, no castelo somente em nome habitava, sinal de pobreza exuberante. Claro como a luz, igualmente, é o fato de que você, menino, no pedir pensão de apenas um salário mínimo, pede não mais que para comer. Logo, para quem quer e consegue ver nas aplainadas entrelinhas da sua vida, o que você nela tem de sobra, menino, é a fome não saciada dos pobres.

Por conseguinte um deles é, e não deixa de sê-lo, saiba mais uma vez, nem por estar contando com defensor particular. O ser filho de marceneiro me ensinou inclusive a não ver nesse detalhe um sinal de riqueza do cliente; antes e ao revés a nele divisar um gesto de pureza do causídico. Tantas, deveras, foram as causas pobres que patrocinei quando advogava, em troca quase sempre de nada, ou, em certa feita, como me lembro com a boca cheia d'água, de um prato de alvas balas de coco, verba honorária em riqueza jamais superada pelo lúdico e inesquecível prazer que me proporcionou.

Ademais, onde está escrito que pobre que se preza deve procurar somente os advogados dos pobres para defendê-lo? Quiçá no livro grosso dos preconceitos... Enfim, menino, tudo isso é para dizer que você merece sim a gratuidade, em razão da pobreza que, no seu caso, grita a plenos pulmões para quem quer e consegue ouvir. Fica este seu agravo de instrumento então provido; mantida fica, agora com ares de definitiva, a antecipação da tutela recursal.

É como marceneiro que voto.

JOSÉ LUIZ PALMA BISSON - Relator Sorteado".


 







sexta-feira, 13 de maio de 2011

Sobre o amor...


"Difícil é amar quem não está se amando. Mas esse talvez seja, sim, o tempo em que o outro mais precisa se sentir amado. Eu não acredito na existência de botões, alavancas, recursos afins, que façam as dores mais abissais desaparecerem, nos tempos mais devastadores, por pura mágica. Mas eu acredito na fé, na vontade essencial de transformação, no gesto aliado à vontade, e, especialmente, no amor que recebemos, nas temporadas difíceis, de quem não desiste da gente". (Ana Jácomo)


quarta-feira, 11 de maio de 2011

quinta-feira, 5 de maio de 2011

"Alma Nua".


Boa tarde!

Segue o link de uma música que, para mim, é a mais pura "materialização" da poesia....

Canta "Alma Nua" o cantor e compositor mineiro Vander Lee, uma preciosidade da MPB.


Paz, Bem e Luz a todos!

terça-feira, 3 de maio de 2011

Força de Viver.

Boa noite!

Para inaugurar a postagem de mensagens, segue uma que chegou a mim em uma hora muito apropriada... Já perdi as contas de quantas vezes a li, talvez querendo que seus ensinamentos sejam absorvidos instantaneamente. Sei que não é assim tão fácil, mas estou tentando aprender...

Paz e Bem a todos! 

                                          Foto de Alice Maria, na Praia do Amor (Conde - PB).


"Não andeis ansiosos pelo dia de amanhã, pois o amanhã trará suas próprias preocupações...".(Mateus 6:34)

 
"Temos força para viver o hoje.
 
Deus nos deu a capacidade de suportar a carga do dia-a-dia. Mas, se acumulamos tudo, presente, passado e futuro, não há quem suporte essa sobrecarga. O que passou, passou; o que virá, virá. Há um tempo para cada coisa.

Vivemos nos atormentando com as preocupações. Pior ainda quando vivemos em função das preocupações do amanhã, do ano que vem, de quando eu me casar, da minha velhice... Nenhum ser humano normal suporta todo esse peso.

A cada momento eu tenho o peso das preocupações próprias daquele dia. Problemas, cruzes e sofrimentos, sempre teremos, mas Deus divide esse peso dia por dia.

Com sabedoria e bondosamente, Deus dividiu o peso, dia por dia, para não nos atormentar e estragar a nossa vida.
Há muita gente que vive “estraçalhada” porque quer carregar tudo: o presente, o passado e o futuro, vivendo preocupações antecipadas e já aquelas passadas.

O Senhor quer tirar o peso dos nossos ombros. Ele está fazendo uma obra nova em nossos corações, mudando nossa maneira de ver e de enfrentar as situações. Deus não nos quer preocupados e tristes. Ele não nos quer velhos antes do tempo".  (autoria desconhecida)

quarta-feira, 27 de abril de 2011

O porquê.

Boa noite a todos!

A ideia de fazer este blog surgiu em um momento muito difícil da minha vida, sentimentalmente falando. Como não tenho muita facilidade com as palavras faladas, pensei, então, em materializar meus sentimentos em letras.

Pretendo abordar temas como literatura, música, cinema, esporte, política, família e religião. Aqui, reservarei, também, um espaço para homenagear quem eu tanto amo...

Meu nome é Alice, e como quase toda "Alice", sou uma sonhadora. Sonho muito, às vezes além do limite do desejado, mas aprendi a respeitar meus sonhos como partes de mim que são. Amo muito também, muito muiot muito... Como São Paulo, creio que, sem o Amor, nada seria. Da junção desses dois verbos, que sintetizam o meu ser, nasceu, pois, o "slogan" do blog.

Não tenho a pretensão de que meus escritos tenham grande repercussão; quero, tão-somente, que aqueles que aqui entrarem, encontrem um lugar de agradável estada.

Desde já, agradeço a atenção!

Paz e Bem!